Os números do IBGE mostram uma tendência de diminuição da população de Foz do Iguaçu e que nossa cidade está, a cada ano que passa, encolhendo. Tal cenário, mais do que simplesmente números, pode estar escondendo uma triste realidade: a fuga de jovens em busca de lugares com mais oportunidades. Seguem 3 sugestões de como tentarmos estancar essa debandada.

1- Diversificar nossa economia: ampliar as possibilidades de trabalho e renda para além do comércio e do turismo, induzindo novos setores econômicos, inclusive industrial, para gerar oportunidades para nossos estudantes de engenharia, arquitetura e urbanismo, química, física, matemática e outras áreas das ciências exatas e humanas aplicadas.

2- Melhorar os serviços e a estrutura da cidade: devemos reestruturar por completo o transporte público e nossa perspectiva do que é mobilidade urbana. Também, avançar na implantação de infraestrutura para a população jovem, com teatros, estúdios, bibliotecas, pistas de skate e áreas de convivência, com segurança e serviços.

3- Garantir renda mínima: precisamos discutir de forma corajosa e responsável a implantação de um programa de renda mínima é complementar para as pessoas – pelo menos – entre 17 em 24 anos, dando condições para que possam, enquanto estudam, garantir uma capacidade mínima de consumo e acesso à direitos básicos como moradia digna e segurança alimentar.

Somos uma cidade jovem e com inúmeras possibilidades de desenvolvimento mas, para avançarmos, precisamos assumir nossa vocação educacional e o bônus populacional de jovens para gerar mais trabalho, renda e oportunidades. Caso contrário, seguiremos encolhendo.

* Luiz Henrique Dias é professor e gestor público.