Já estamos em um cenário de pandemia, que abalou todas as esferas da sociedade, há mais de um ano. No entanto, agora que já temos 70% da população de Foz do Iguaçu vacinada com a primeira dose e próxima de estar completamente imunizada, é possível ver de maneira mais evidente uma luz no fim do túnel?

Mesmo durante esse período, as iniciativas artísticas não pararam. Inclusive, em outro post já falamos sobre alguns projetos independentes que atuam na cidade, e o interessante é que a maioria deles surgiu justamente durante a pandemia (como é o caso do Guia de Artistas também).

Assim, por mais complicada que tenha sido a vida de artistas e produtores, o cenário artístico continuou se movimentando, promovendo ações menores, pensando outras alternativas, articulando ideias que seguirão com mais força ainda depois desse período…

Nesse último fim de semana (17 e 18 de julho), pudemos visitar (com todo o cuidado), alguns espaços que estão dando seus primeiros passos em direção a essa luz no fim do túnel. É claro que ainda não podemos dizer que esses espaços estão funcionando normalmente, mas acredito que já podemos pensar em seguir adiante. Tanto a Casinha Laranja quanto o QG do Quixote, espaços que visitei, são ambientes voltados à arte e cultura que se formaram agora, e que com certeza seguirão fazendo a diferença quando tudo isso acabar.

Além desses espaços, os projetos que já estavam em execução antes poderão voltar à ativa, e com a articulação entre artistas, produtores e espaços culturais que construímos mesmo durante a pandemia, acredito que podemos esperar muitas coisas boas vindo aí.

E você, o que pensa sobre o assunto? Já consegue ver uma luz no fim do túnel?

Imagem do cabeçalho: desenho de Débora Berté