Isolado e pressionado pela sede de cargos do centrão, que ameaça se bandear para o lado de Lula ou de uma “terceira via”, Bolsonaro confirma reforma ministerial e vai recriar Ministério do Trabalho pra abrigar Onyx Lorenzoni.

O governo federal prepara uma medida provisória de recriação do Ministério do Emprego e Trabalho, antes incorporado ao Ministério da Economia, e que agora vai pro comando atual ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Onyx Lorenzoni.

A mudança faz parte de uma reforma ministerial programada pelo presidente Jair Bolsonaro visando abrir mais espaço na Esplanada dos Ministérios para o PP, partido do Presidente da Câmara (que tem o poder de pautar os pedidos de cassação de Bolsonaro), considerado um dos principais partido do bloco chamado de centrão.

Assim, o senador Ciro Nogueira vai para a Casa Civil e consolida o PP como maior partido de base declarada ao presidente.

Mas para concretizar as mudanças, Bolsonaro vai ter que descumprir, mais uma vez, uma promessa de campanha.

Ele prometeu esplanada com 15 ministérios. Mas está longe disso.

Em junho de 2020, Bolsonaro anunciou a recriação do ministério das Comunicações, elevando o número de pastas a 23.

Caso se concretize a recriação do Ministério do Trabalho, e com a saída do Banco Central do status de ministérios, o governo Bolsonaro continuará com oito pastas a mais do que o prometido aos eleitores em 2018.