Guia de Artistas de Foz: Diferenças entre arte tradicional e analógica — entrevista com a artista Laura Zanon

No Guia de Artistas, criamos uma série de posts chamada “Arte em Foz”, que traz um pouco das técnicas das artes visuais partindo da visão das/os/es próprias/os/es artistas de Foz do Iguaçu. Com esta série, buscamos apresentar um pouco sobre as diferentes técnicas, para que você possa descobrir coisas novas, mas também entender um pouco sobre a trajetória e referências de artistas locais.

No primeiro post da série, que foi originalmente publicado no Medium e Instagram, trazemos um pouco sobre o que é a arte tradicional e a arte analógica, quais são as diferenças e semelhanças.

Para conversar sobre o assunto, entrevistamos a artista visual Laura Zanon, que transita entre as duas técnicas na criação de suas peças.

Veja a entrevista na íntegra a seguir:

G: Você poderia explicar brevemente as diferenças entre a arte digital e tradicional?

L: A arte digital pode ser feita a partir de qualquer aparelho eletrônico — Celular, tablet, computador ou mesa digital. Já a arte tradicional é feita em mídia física como papel, tela, madeira, tinta, lápis, etc.

G: Tem preferência por alguma das duas técnicas?

L: Eu gosto muito das duas técnicas, mas atualmente eu estou usando mais a técnica digital pela facilidade de transportar, a quantidade de habilidades disponíveis, pinceis diferentes, cores e texturas. Acredito que boa parte da minha identidade artística eu encontrei na arte digital e a quantidade de possibilidades ao meu alcance.

ilustração digital de uma moça negra de cabelos longos e cor de rosa pintando uma tela. Ela está com o godê na mão, de frente para a pintura
Criar e encontrar — arte digital de Laura Zanon

G: Já experimentou juntar as duas?

L: Já fiz algumas artes unindo fotos de artes tradicionais e fotos pessoais também. Muito bom poder transitar entre diversas técnicas e poder aprender com o processo.

G: Você tem um ritual para criação?

L: Faço uma ambientação com música, um local confortável ou vídeos. Eu geralmente procuro e pesquiso por referências visuais e poses possíveis. Em seguida, eu faço a line arte, geralmente começo pelo rosto, expressão facial e cabelo, essas são as partes mais importantes na minha criação.

G: Se sim, isso muda de acordo com o tipo de arte que você vai criar?

L: Acredito que os dois processos são bem parecidos. O que muda mesmo são as técnicas e cores, porque nem todos os mecanismos que tenho disponível digitalmente eu tenho acesso aos materiais tradicionais.

Ilustração com pintura em aquarela. Um busto de uma mulher negra, careca, com piercing no septo, vários olhos espalhados pela imagem e muitas folhas verdes
Olhos conectados — arte tradicional de Laura Zanon

G: Você sente diferença criando uma arte digital e uma tradicional?

L: Fica muito notória nas minhas artes a diferença de paletas de cores, formas e significados. Sinto que consigo ser mais detalhista com a arte digital e mais simples na arte tradicional.

G: Quais artistas você admira em cada uma das técnicas?

L: Eu admiro muitos artistas e fica até difícil citar poucos nomes mas são eles (links para Instagram):

@unicorniante — Artista decolonial e cósmica

@ninasatie — Artista visual

@muitocria_ — Crialismo

@consp — Artista visual e grafiteiro

Essa foi a primeira entrevista da série “Arte em Foz”, do Guia de Artistas de Foz, para a qual entrevistamos Laura Zanon em uma conversa sobre arte digital e tradicional. Continue nos acompanhando para conhecer o trabalho de mais artistas locais e ficar por dentro das técnicas e diversidade de possibilidades na criação artística!

Semana que vem estamos aqui de novo. Um grande abraço!

Use máscara (não escute o presidente)