Antes de começar o texto, deixo uma perguntinha bem simples: quantas e quantos artistas visuais da cidade você conhece?

Em junho de 2020, há exatamente um ano atrás, o Guia de Artistas de Foz nasceu. E hoje, um ano depois, estamos estreando nossa coluna aqui no blog Foz.Digital.

Mas o que é o Guia de Artistas de Foz? Quem faz? O que se pretende com o projeto? Na primeira publicação da coluna do Guia aqui no blog, você vai poder descobrir a resposta para essas perguntas, então não para de ler agora não, tá?

Guia de Artistas de Foz escrito em amarelo sobre círculo rosa. Comemoração de 1 ano do projeto

Conheça o Guia de Artistas de Foz

Durante a pandemia de Covid-19, precisamos mudar um pouco nossas rotinas, o que incluiu evitar ao máximo o contato com outras pessoas. A partir daí, se tornou mais difícil circular pela cidade, ver, experienciar e sentir coisas.

E justamente nesse contexto eu, Ana Clara, artista visual, iguaçuense e estudante de Letras, Artes e Mediação Cultural na UNILA, estava começando a “assumir” minha produção artística, buscando, além de me fortalecer como artista, conhecer outras pessoas que também estavam criando aqui na cidade. Mas como eu poderia conhecer outras artistas se eu não podia sair de casa?

Foi assim que, em junho de 2020, alguns meses depois do início do isolamento, tive a iniciativa de organizar um projeto que tinha a intenção de encontrar essas/esses artistas que também estavam produzindo em Foz, para que eu mesma pudesse conhecê-las/os e trocar experiências, mas também para que outras pessoas pudessem continuar tendo contato e acesso à essa produção artística.

O início do processo foi marcado por encontrar artistas visuais, entrar em contato, entender se elas/eles também tinham vontade de mostrar mais sua produção e de conhecer outras/outros artistas… também foi marcado por entender como isso seria feito (um catálogo físico? um catálogos virtual? uma exposição virtual?), porque se pretendia ser um projeto “palpável”, para que mais pessoas, além da esfera artística já consolidada da cidade, pudessem acessar.

Aí, depois de experimentar a criação de um catálogo recebi, como conselho de artistas mais experientes daqui da cidade, a ideia de criar uma página no Instagram, a fim de fazer essa divulgação de forma mais fácil e passível de compartilhamento rápido.

Foi nesse momento que a página foi criada. O Guia de Artistas de Foz, um catálogo/exposição/espaço de divulgação de arte e cultural local, foi publicado online em 4 de junho de 2020.

Desde a publicação do projeto, estamos recebendo trabalhos de artistas visuais que desejam mais visibilidade às suas produções e publicando na internet, além de dar mais espaço também às iniciativas independentes que acontecem pela cidade.

Hoje, já divulgamos mais de 60 artistas entre exposição virtual, lives e exposições presenciais.

Por que Guia de Artistas de Foz?

O nome foi pensado antes mesmo de a página existir, e está relacionado ao contexto turístico de Foz do Iguaçu.

Hoje, em nossa cidade, existem guias de várias áreas: guias de passeios turísticos, guias gastronômicos, guias de melhores lugares para sair a noite, guias de melhores lugares para comprar lembrancinhas, guias de lojas de ingressos para passeios, guias de pontos turísticos… mas até então não existia nenhum guia de artistas, exclusivo para falar sobre e mostrar a produção artística da cidade.

Assim, o Guia de Artistas de Foz é um guia pensado para que tanto as pessoas que vêm de fora e buscam vivenciar coisas relacionadas às artes e a cultura, quanto as pessoas que moram na cidade, possam saber onde encontrar artistas e conhecer essa produção que está bem pertinho delas.

O que o Guia quer?

Como já mencionei, o Guia de Artistas quer, acima de tudo, mostrar a produção artística da cidade. Atualmente, estamos focando em divulgar a produção das artes visuais, como pintura, desenho, fotografia, colagem, ilustração digital, grafitti, foto-performance, escultura, customização de peças de roupa, lettering e animação. Essa divulgação é necessária para que mais pessoas se interessem por consumir arte e conhecer outros pontos de vista quando se trata do assunto.

Mas, além disso, o projeto também quer promover uma integração entre artistas, afinal, muitas vezes não nos conhecemos, e não sabemos com quem podemos contar nessa trajetória. Com o Guia, podemos conhecer, trocar experiências, conversar, estar mais juntas e juntos (mesmo que, por enquanto, à distância).

Como um último objetivo, digamos assim, temos criar eventos artísticos pela cidade, como exposições de arte e feiras. Com tudo isso, conseguimos estimular e fazer circular também um mercado artístico, que é importante para as artistas que precisam continuar com sua produção e também para incentivar a comunidade a apoiar a cena artística e oferecer peças de arte local aos turistas.

O que o Guia já fez?

Durante o primeiro ano de existência do projeto já promovemos algumas iniciativas.

A primeira delas foi o TCndo redes – Encontro Virtual de Artistas Visuais de Foz. Com o TCendo redes, nos encontramos entre artistas quinzenalmente para bater papo, nos conhecer (ver a carinha de cada uma era muito importante), falar sobre nossas questões enquanto artistas de Foz… e a partir dos encontros, surgiu a ideia de fazer encontros com artistas também na página do Instagram.

Foi assim que surgiu o GAF(e), nossa segunda iniciativa enquanto grupo. O GAF(e) foi um ciclo de entrevistas com artistas, e quem tomou a frente do projeto foi a artista Victoria Velazquez. Quinzenalmente, a Victoria entrevistou artistas da cidade em forma de lives, que estão disponíveis na página. O projeto resultou em oito lives muito interessantes, nas quais podemos ver e ouvir artistas locais.

A terceira iniciativa foi o GUIA MOSTRA – circuito independente de arte local. O GUIA MOSTRA foi organizado por mim e pela Victoria Velazquez. Nesse circuito, que aconteceu entre novembro e dezembro de 2020, oito artistas montaram mostras individuais em quatro estabelecimentos diferentes no centro da cidade. Esse foi nosso primeiro evento presencial, e mobilizou não só artistas, mas também pessoas interessadas em ver arte e cafeterias, o que proporcionou uma circulação bem legal (apesar de restrita, por conta da pandemia) em estabelecimentos locais.

No próprio Instagram, também promovemos uma Feira Virtual de Arte Local, que teve duração de um mês, e um bazar de prints em prol das queimadas que destruíram o Pantanal em 2020.

Atualmente, além da exposição virtual, também estamos criando uma série de conteúdos chamada Arte em Foz, que mostra diferentes técnicas de artes visuais a partir da experiência de artistas locais. A série foi nossa primeira iniciativa que está em mais de uma plataforma, já que é sempre publicada no Instagram e também no Medium.

Além das nossas iniciativas, também contribuímos com O Foguete, outro projeto muito interessante que começou por aqui em 2021 e que vale a pena conhecer. E é claro, a partir de hoje, contribuímos também com o Foz.Digital!

Para onde o Guia de Artistas vai?

O Guia vai continuar cumprindo com seus objetivos, e se adequando às necessidades que a gente vai encontrando para construí-lo da melhor forma. A ideia é seguir fazendo o que já estamos fazendo, tanto online quanto presencial (quando for possível se movimentar mais).

Assim, vamos seguir nos articulando entre artistas, recebendo trabalhos de artistas visuais que querem mais visibilidade, e promovendo eventos de arte e cultura.

Hoje, tudo o que fazemos é de maneira voluntária, com a intenção de fortalecer a cena artística local, e não temos a intenção de lucrar com o projeto. Porém, promover exposições e fazer a manutenção diária da página demanda alguns pequenos investimentos (que fazemos coletivamente quando necessário). No entanto, se você gostou de conhecer mais sobre o Guia e quer nos ajudar a continuar com o projeto e apoiar a criação de eventos artísticos, que tal conhecer nossa campanha de financiamento coletivo?

Seguimos pela arte em Foz!

Texto em amarelo sobre círculo rosa.

Como participar?

Durante o texto, falei muito sobre a exposição virtual e também sobre a divulgação de trabalhos artísticos, e se você que está lendo é artista, pode ter ficado com vontade de participar, né?

Para que as artistas de Foz possam participar e compartilhar com a gente o que produzem, criamos um formulário.

No formulário, que é bem simples de responder, pedimos algumas informações como nome artístico e biografia, e no final, pedimos também para que a/o artista se cadastre no Mapa da Cultura de Foz, que é um mapeamento oficial da prefeitura de Foz. Com isso, aumentamos a visibilidade da/o artista e também promovemos uma articulação com a gestão da área da cultura da cidade.

Quantas/os artistas visuais locais você conhece?

E aí, conseguiu pensar sobre essa pergunta?

Se você não soube responder à pergunta do começo do post, ou chegou à conclusão de que conhece pouco a produção artística da cidade a partir dessa leitura, precisa visitar nossa página no Instagram!

Chegamos ao final do primeiro post da coluna do Guia de Artistas de Foz aqui no blog! No primeiro post, apresentei o projeto e contei um pouco sobre como estamos agindo em Foz.

Agradeço a sua companhia e também a disponibilidade do espaço no blog, que foi cedido gentilmente pelo Luiz.

A partir de hoje, temos um encontro às quartas-feiras, sempre às 9h, com vários conteúdos relacionados às artes visuais e à produção local.

E aí, você já conhecia o Guia de Artistas de Foz? O que achou do post de hoje?

Um abraço e até a próxima!