Governo não cumpre promessa e energia ficará mais cara

* Luiz Henrique Dias

O Governo Federal e a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) haviam prometido interromper qualquer aumento nas contas de luz em 2020.

Mentiram.

A partir desta terça-feira (01), segundo portaria da Agência, o sistema passa a operar com oneração de R$ 6,42 adicional por 100 kwh de consumo, na chamada Bandeira Vermelha.

Pra justificar a tarifação, o Governo alegou baixa nos reservatórios do Sul e do Sudeste, o que coloca em risco a produção de energia de matriz hidráulica, como a produzida por Itaipu.

Mas há uma outra face na história: ao aumentar as tarifas, o Governo está aliviando a conta das distribuidoras que precisam pagar à vista o adicional de operações das termoelétricas, mesmo depois recebendo o dinheiro novamente, do próprio Governo, ao longo dos meses seguintes.

Na prática é: encarecer ainda mais o custo de vida da população – que aumentou o consumo de energia por conta da pandemia – para não irritar as empresas no curto prazo.

Ao invés de fazer o jogo das companhias de distribuição, o Governo deveria garantir o congelamento das tarifas e investir na mudança e na diversificação de nossa matriz energética para, na escassez de águas, dependermos menos da energia térmica, cara e poluente.

Política pública se faz fim escolhas.